Menu

Jornalismo (49) 99111-4055

Anuncie no Portal (49) 99117-4389

Previsão do Tempo 14/07/2024 | 20:08

Joaçaba

Motorista que atropelou e matou adolescente será julgado nesta quinta

Publicado em 18/10/2017 ás12:00

Reprodução simulada do crime

Foto: Reprodução simulada do crime

Estará sentado no banco dos réus nesta quinta-feira (19), Luan Fábio Paiva, 23 anos, acusado pelo Ministério Público por homicídio doloso e por três homicídios qualificados, na forma tentada. O crime aconteceu após um baile de formatura na madrugada do dia 28 de agosto de 2016 na BR-282, proximidades do CPJ, em Joaçaba.

Conforme a denúncia do Ministério Público, Luan ficou violento após ingerir bebida alcoólica e discutiu com outros frequentadores da festa. Ao sair do local, ele se deslocou até o estacionamento e adentrou em seu veículo I/VW Jetta, placas ESA-9531, oferecendo carona para os amigos, que ingressaram no carro. Já na direção do veículo, o réu enxergou as vítimas na parte externa do estabelecimento conversando próximo à portaria e, realizando uma manobra de derrapagem brusca, chegou até elas, abaixou o vidro e as acusou de terem jogado um copo contra si. As vítimas revidaram a acusação, dizendo que não haviam sequer entrado no clube, permanecendo apenas na parte externa, o que gerou uma pequena discussão até que todos eles decidiram ir embora.

Ao iniciar o deslocamento pela BR-282, rumo a Joaçaba, o acusado cruzou com as vítimas, que seguiam caminhando pelo acostamento da pista contrária também em direção ao centro de Joaçaba, abaixando novamente o vidro do carro e proferindo ofensas. Na sequência, após seguir cerca de mil metros pela rodovia, retornou com intenção de atropelar e ceifar as vidas dos jovens. Ele acelerou o veículo intencionalmente e invadiu o acostamento no exato local onde elas estavam Andrei, Higor, Erik e Luiz Guilherme, colidindo bruscamente com a frente e lateral direita do veículo contra os seus corpos. O carro atingiu frontalmente o corpo de Andrei, que foi arremessado cerca de dois metros para a frente, caindo em uma valeta à onze metros do acostamento e vindo a óbito em seguida por traumatismo crânio encefálico. Além disso, o denunciado também atingiu intencionalmente as vítimas Higor, Erik e Luiz Guilherme, apenas não consumando o crime contra a vida dos três por circunstâncias alheias a sua vontade. Higor foi atingido em cheio no joelho direito e no braço direito. Luiz Guilherme, pulando para se salvar, foi atingido na perna esquerda. Já Erik não foi atingido, pois estava andando mais próximo ao canto, à esquerda dos amigos, tudo isso resultante da vontade do denunciado de matar a todos.

Após atropelar as vítimas, Luan, mesmo com os pedidos de seus caronas para parar o veículo, evadiu-se do local, vangloriando-se que "não leva desaforo para casa". Ele ingressou em uma estrada de chão existente poucos metros à frente do CPJ, indo em direção ao município de Luzerna e, posteriormente, para sua casa com o objetivo de esconder o veículo, o qual, devido ao forte impacto, teve o para-brisa, para-lama e para-choque dianteiros danificados, bem como partes do retrovisor arrancadas e que foram encontradas no local dos fatos. “Agindo, externando absoluto menosprezo à vida humana, o denunciado atingiu propositalmente o corpo das vítimas com seu veículo, atropelando-as, em reação absolutamente desproporcional à uma discussão banal ocorrida algum tempo antes. Assim, evidente o motivo fútil que ensejou a sua covarde e desproporcional reação. Ainda, o acusado valeu-se de recurso que impediu totalmente ou, pelo menos, dificultou sobremaneira a defesa das vítimas, já que andando em alta velocidade, acelerou o veículo automotor contra os pedestres, que estavam caminhando pelo acostamento da via pública, distraídos, surpreendendo-os e retirando deles qualquer possibilidade de reação ou defesa”, acusa o Ministério Público.

Luan deixou o local sem prestar socorro às vítimas, sendo preso durante a manhã em sua casa, quando o veículo Jetta foi apreendido pela Polícia Civil com as marcas do acidente.

O advogado Álvaro Xavier, que atuará na defesa de Luan Fábio, defende que seu cliente não teve a intenção de matar, e que queria apenas dar um susto nos jovens.

O julgamento terá início às 9h na sala de sessão do Fórum de Joaçaba.   

Participe de nosso
Grupo no WhatsApp

Mais Acessadas

Farmácia de Plantão
Farmácia
Farmácia Júnior

Av. XV de Novembro, 377 - Centro, Joaçaba

Fone: (49) 3522-1787

Farmácia Júnior
X