Menu

Jornalismo (49) 99111-4055

Anuncie no Portal (49) 99117-4389

Previsão do Tempo 07/12/2022 | 23:02

Cultura

Livro traz fotografias e narrativas da Romaria de Nossa Senhora Aparecida

Publicado em 15 de Junho de 2022 às10h30

Divulgação

Foto: Divulgação

Um livro que nasce do plural da esperança, feito de promessas – sussurradas sob os olhos de Nossa Senhora, iluminadas por faróis de caminhão, nos anjos tecidos para as crianças, entre as bolhas de sabão, as flores, os ambulantes, o chimarrão e outras cores. O livro “Promessas”, de Carlos Eduardo Carvalho e Jaqueline Silveira, é feito de esperanças, com fotografias artísticas e documentais de 2016 a 2021, com textos e narrativas recontadas a partir das diversas vozes da Romaria de Nossa Senhora Aparecida, realizada desde 1977, em Campos Novos.

“Promessas” será lançado em três eventos, com a presença dos autores: no dia 20 de junho (segunda), online pelo Instagram da editora (@editoraeditora); no dia 21 de junho (terça), no Teatro Alfredo Sigwalt em Joaçaba; e no dia 1º de julho (sexta) na Biblioteca Pública Municipal de Campos Novos, sempre às 19h30. Com distribuição de exemplares gratuitos nos lançamentos presenciais e à venda a preço popular pelo site <editoraeditora.com/promessas>, o projeto foi selecionado pelo Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura – edição 2020, executado com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). 

“Pensamos em revelar uma Romaria que vai além do rito religioso e da multidão de fiéis, nos concentrando em capturar uma manifestação que ganhasse amplitude na sua multiplicidade de rostos, cores, histórias e personagens”, relembra o fotógrafo Carlos Eduardo Carvalho. O livro “Promessas” traz o resultado da pesquisa, da experiência de escuta e composição de relatos e do registro fotográfico-artístico de um ponto de vista inédito, a partir de um trajeto diferente. Em vez de iniciar pela Igreja Matriz, eles fizeram o percurso partindo do fim da Avenida, vivendo o bairro em festa e o entorno que evidencia a diversidade cultural manifestada pela convivência de romeiros, viajantes, pagadores de promessas e comerciantes. Fora dos holofotes, antes, durante e após a Romaria, o evento é marcado pela jornada de trabalho de indígenas Kaingang, haitianos, senegaleses, peruanos, bolivianos e brasileiros vindos das regiões nordeste e sudeste, que compõem, na extensão da Avenida Sagrado Coração de Maria, em Campos Novos, uma “cartografia estrangeira-efêmera”, como aponta a contadora de histórias Jaqueline Silveira. “O livro é resultado desses diálogos e busca revelar uma Romaria que se faz por múltiplas travessias, mostrando como a palavra ‘promessas’ carrega em si uma polissemia, ou seja, muitos significados”, completa. 

De fato, o caráter polissêmico de “Promessas” se configura não apenas entre as definições possíveis para o termo, como os pedidos ancorados na fé e no sacrifício; a espera pela boa sorte nas vendas no dia de celebração, ou mesmo o ditado popular que afirma que “promessa é dívida”. A pluralidade encontrada na Romaria por Carlos e Jaqueline se traduz também na edição do livro, com a coordenação editorial de Gabi Bresola, por meio de uma profusão de cores. Diferente das publicações oficiais e religiosas, frequentemente com traços sóbrios, cores claras e letras miúdas, o livro “Promessas” procura evidenciar, na escolha de seu formato, na variedade de fontes e no colorido das páginas as várias vozes da rua, aproximando o leitor da experiência desses encontros. “Promessas é um foto-livro que dialoga com o formato de revista. As letras grandes fogem do padrão das leituras de culto, geralmente pequenas e de difícil leitura. Além disso, o projeto gráfico busca arrematar o caráter estético das imagens feitas por Carlos e o trabalho de linguagem realizado por Jaqueline”, explica Gabi Bresola. O livro ainda é acompanhado por dois santinhos, se relacionando ainda mais com a cultura da Romaria. 

Desde a infância

Não é recente a relação de Carlos Eduardo Carvalho com a Romaria de Nossa Senhora Aparecida. Vivendo na casa de sua avó, situada na Avenida Sagrado Coração de Maria, ele lembra de ter participado da Romaria durante toda a infância. “Por volta dos quatro ou cinco anos, eu fazia a procissão de mãos dadas com a minha mãe e ao final ganhava um churros”, rememora. Durante a adolescência, era a festa e o encontro com os amigos o que mais interessava a ele, que todo o ano via a multidão passar pela sua casa. “Em 2014, ainda com certo receio, comecei a fotografar, andava ainda tímido com a câmera, fiz umas fotos e voltei para casa correndo”. Em 2016, foi diferente. A curiosidade falou mais alto e Carlos passou a registrar a Romaria pela experiência de estar vivendo a fotografia e para trazer de volta um pouco da infância, reencontrando o encantamento por meio da multiplicidade cultural recebida, todo dia 12 de outubro, por seu bairro. 

Como uma observadora, Jaqueline conheceu a Romaria por meio de Carlos e, visitante, também se sentiu cativada pelo outro lado do cenário, muito além do religioso. “Para captar essa diversidade é preciso escutar as pessoas e, para isso, temos que nos aproximar delas. Não dá para ficar na superfície, com um drone, ou acima, num caminhão de bombeiros. É preciso ser um peregrino também, estar no meio”, exemplifica. É do meio da diversidade de participantes da Romaria, e das múltiplas promessas e esperanças, de que são feitas as cores deste livro. 

Carlos Eduardo Carvalho é fotógrafo e arte-educador. Licenciado em Arte Visuais, seu interesse pela cultura e pela estética urbana o acompanha desde a adolescência, quando descobria o mundo sob a perspectiva do skateboard. A geografia rural e a urbanidade, que contrastam no oeste catarinense, têm sido seu principal tema de pesquisa e desenvolvimento de projetos artístico-fotográficos. Nasceu em Campos Novos-SC, em 1990, e vive em Joaçaba-SC.

Jaqueline Silveira é artista-contadora de histórias, produtora cultural e educadora. Mestra em Educação pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (2020), dedica-se à pesquisa, criação e desenvolvimento de projetos artístico-culturais, especialmente nos temas: narrativas, memórias, literatura e infância. Nasceu em Imbituba-SC em 1987, e vive, em Joaçaba-SC.

Editora editora é uma plataforma experimental de publicações de artista pensada, gerida e editada por Gabi Bresola. É uma editora de uma pessoa só — mesmo que acompanhada de diferentes pessoas em cada projeto.

SERVIÇO:

Lançamentos do livro “Promessas”,  de Carlos Eduardo Carvalho e Jaqueline Silveira

Dia 20/06 (segunda-feira), online, 19h30

Pela página no Instagram da Editora (@editoraeditora).

Dia 21/06 (terça-feira), em Joaçaba, 19h30

Local: Teatro Alfredo Sigwalt 

(Rua Roberto Trompovski, 63, Joaçaba/SC)

Dia 1º/07 (sexta-feira), em Campos Novos, 19h30

Local: Biblioteca Pública Municipal de Campos Novos

(R. Cel. Farrapo, 1045, Centro, Campos Novos/SC)

Distribuição de exemplares gratuitos nos lançamentos presenciais

À venda a preço popular pelo site: editoraeditora.com/promessas

Fonte: Assessoria de Comunicação

Participe de nosso
Grupo no WhatsApp

Mais Acessadas

Farmácia de Plantão
Farmácia
Farmácia Júnior

Av. XV de Novembro, 377 - Centro, Joaçaba

Fone: (49) 3522-1787

Farmácia Júnior
X Alesc