Menu

Jornalismo (49) 99111-4055

Anuncie no Portal (49) 99117-4389

Previsão do Tempo 23/04/2024 | 14:47

Herval d' Oeste

Prates diz que felicidade é uma porta que só se abre por dentro

Publicado em 21/08/2014 ás20:00

Prates ao lado de Joceli Andrade (CDL)

Foto: Prates ao lado de Joceli Andrade (CDL)

O jornalista Luiz Carlos Prates recebeu a imprensa na tarde desta quinta-feira (21) na sede da CDL de Herval d´Oeste. Ao lado do presidente da entidade, Joceli Andrade, o polêmico comentarista e apresentador do SBT/SC, com formação acadêmica em psicologia e jornalista por atuação, falou de vários assuntos, inicialmente sobre o tema da palestra: “Felicidade, a riqueza possível a todos”.

“A felicidade é uma porta que só se abre por dentro”, definiu Prates ao defender a subjetividade.  “A mudança é pessoal. Aquilo que me faz feliz, que me realiza... pode te fazer triste. Costumo dizer que cada um tem que fazer tudo que estiver dentro da lei e for ético. Porque não? Só que as pessoas não cuidam disso, andam em uma linha de montagem. O que é moda, o que estão fazendo, como se divertem... Andam como rebanho, daí precisa de um pastor. Tá errado, não vai dar certo. Nós precisamos saber o que nos convém. Para isso é preciso um pouco de instrução, de coragem, de loucura. Cada um tem que encontrar a porta de entrada e saída das encrencas, e graças a Deus é assim. De outro modo ela seria coletivizada. Quem por qualquer razão não correspondesse a essa coletivização seria infeliz. O cara pode estar sentado sobre um prego, morar debaixo de uma ponte, sem ter onde cair morto e ser feliz da vida, ou pode estar sentado em um trono e ser infeliz, o que é muito comum também”, disse Prates assumindo que se envolve emocionalmente com os assuntos. “Tive um produtor na Rádio CBN Diário que, entre aspas, me medicava. Ele buscava água com açúcar no meio de alguns comentários. Me envolvo mesmo. Se não for assim, estarei fazendo tipo. Gostaria de não ser assim. Até escrevi uma coluna sobre isso. Ando com uma gravata muito apertada no pescoço e quero afrouxar o nó e não consigo, isto é, me livrar das minhas neuroses, de estresses diários de problemas que não são essencialmente meus, mas não consigo”.

Demissão da RBS

Ao contrário do que muitos falam, que a demissão da RBS tenha sido motivada por um comentário sobre o filho do diretor do grupo, um dos suspeitos pelo estupro de uma menor na capital do estado em 2010, Prates afirma não ter feito comentário sobre o caso, embora tenha sido muito cobrado pelas pessoas. “Chegavam enxurradas de críticas e telefonemas me cobrando para me posicionar. Mas como? Você trabalha na casa do cara e vai sair falando mal?” questionou. “Não tinha nada a ver com isso e não comentei”.

O jornalista revelou que o comentário “hoje qualquer miserável tem carro em função do crédito criminosamente elástico criado pelo Lula (presidente) para que o camarada sem recursos pudesse comprar um carro e, depois mais adiante ninguém viesse saber que ele estava encrencado pelas dividas, mas andava de automóvel”, foi o motivo da demissão. “Houve todo tipo de censura e pressão. A RBS deixou passar porque a coisa era uma bobagem, tinha feito coisa muito pior, mas a Globo pressionou, pois o nome dela estava sendo jogado pela Igreja Universal e pela Record como se a RBS fosse Globo. Fui capa de jornal, pregação em todas as igrejas de Norte a Sul do Brasil com os caras dizendo que a Globo odiava os pobres. Aí me botaram para a rua porque estavam perdendo com isso. Uma jogada de mercado que não me surpreende. Meses depois quando já estava no SBT, recebo uma proposta de quem fez toda a pressão para me botar na rua (Record). Esse é o mercado. Enfim, interesses de toda a sorte, e não a verdade visando o bem estar do povo. Isto foi no passado, é hoje e, vai continuar assim enquanto não houver a revolução cultural. 85% da população brasileira é estúpida, cai de quatro e basta. E é por isso que o resultado das eleições majoritárias tem sido estes do últimos anos”.

Transformação no país

“Só vai mudar o dia em que houver a revolução cultural. Revolução dos costumes, dos modos de ser e agir do povo, mas o povo precisa de boas e saudáveis lideranças. Não investem em educação, é o que sobra. Sem a revolução, pai e mãe educando e a escola instruindo bem, não vejo nenhuma perspectiva. Tenho dito, peguem as gravações da última campanha eleitoral presidencial. As promessas são rigorosamente as mesmas. Não fizeram nada dos últimos quatro anos pra cá, vão fazer a partir de agora? Historicamente se sabe que no segundo mandato o reeleito não faz nada. Precisamos da reforma política em que os governantes fiquem cinco anos no poder sem reeleição. Tem cara que não sai da câmara, da assembleia, do senado...

Copa do Mundo

“O Brasil tem condições de fazer Copa do Mundo, mas não era o momento. Os grandes países não aceitaram, ninguém queria. Era interessante para o Lula trazer pra cá porque popularmente a bagaceirada iria dizer oba, Copa do Mundo que maravilha e tal. Só que nos planos era preciso ganhar a Copa e o Brasil não ganhou e se endividou. Os estádios estão iniciando um processo de ruína, não estão sendo preservados, não há como preservá-los, não há jogos para preservá-los, não há eventos para preservá-los, e a manutenção é caríssima. Isso não está sendo discutido. Se a oposição for de qualidade e não é, isso teria que ser jogado na mesa. E agora vem os investimentos com as Olimpíadas, que exige tudo de primeiríssimo mundo. Essa conta já está sendo paga por todos nós, mas e aí? Quem pode fazer a grande revolução da virada? O povo? Mas como vai fazer se não saber pensar, não lê um jornal por dia? O camarada que não lê um jornal por dia, mas credo, como vai ter informação? O que ele ouvir ele acredita.

Assista abaixo o trecho da entrevista em que o jornalista fala da demissão da RBSTV:

Participe de nosso
Grupo no WhatsApp

Mais Acessadas

Farmácia de Plantão
Farmácia
Farmácia Júnior

Av. XV de Novembro, 377 - Centro, Joaçaba

Fone: (49) 3522-1787

Farmácia Júnior
X