Menu

Jornalismo (49) 99111-4055

Anuncie no Portal (49) 99117-4389

Previsão do Tempo 16/10/2021 | 23:41

Joaçaba

Jorginho Mello fala sobre citação de seu nome em inquérito da PF

Publicado em 18 de Dezembro de 2014 às15h29

Deputado federal Jorginho Mello

Foto: Deputado federal Jorginho Mello

O deputado federal Jorginho Mello (PR), recebeu o Portal Caco da Rosa na manhã da segunda-feira (15) em seu escritório em Joaçaba. Jorginho concordou em falar sobre a citação de seu nome em um dos inquéritos da Polícia Federal na Operação Ave de Rapina. “Pode perguntar o que você quiser”, disse em tom bem humorado.

Demonstrando tranquilidade, o parlamentar respondeu qual foi sua ligação com Adriano João de Melo (proprietário da empresa Visual Brasil), preso sob suspeita de arregimentar empresários para pagamento de propina para descaracterizar o projeto Cidade Limpa na Câmara Municipal de Vereadores de Florianópolis. “Me falaram que esse tal de Adriano possuía uma estrutura boa e infelizmente contratamos o serviço dele para colocação das placas durante a campanha, como outros vários candidatos fizeram”, explicou. “Pensei em não me incomodar com esse trabalho, que sempre dá dor de cabeça, mas foi ao contrário”, disse ao comentar que quando chegava nos municípios era cobrado por correligionários e candidatos sobre as placas que não haviam sido colocadas.

De acordo com Jorginho, o investigado pela Polícia Federal não cumpriu sua parte no acordo. “É um malandro, me incomodei muito com esse cara”, disparou. “Pra você ter uma ideia, nem conheço ele. Quem acertou o trabalho foi meu coordenador de campanha, e isso foi documentado na prestação de contas”, defendeu. “Se ele entrar pela porta, não sei quem é”, acrescentou.

Na transcrição da gravação, Adriano conversa com um homem não identificado que parece trabalhar no ramo da publicidade. - O interlocutor questiona se havia dado tudo certo lá no Jorginho Mello. Adriano responde que não, mas iria dar -, descreve o inquérito.  “Quando você contrata alguém, não tem a mínima ideia de que ele está sendo investigado, ou que está com o telefone grampeado”, justificou.

Jorginho se mostra tranquilo e lamenta o fato de seu nome ter sido usado na divulgação do inquérito. “O próprio Ministério Público não divulgou nada sobre mim, porque não viu ligação alguma. Apenas alguns veículos de comunicação que tiveram acesso às informações fizeram questão de citar. Motivos? Não sei”, finalizou o deputado afirmando que em todos esses anos de vida pública não esteve envolvido em nenhum escândalo.

Participe de nosso
Grupo no WhatsApp

Mais Acessadas

Farmácia de Plantão
Farmácia
Farmácia Júnior

Av. XV de Novembro, 377 - Centro, Joaçaba

Fone: (49) 3522-1787

Farmácia Júnior
X Caco da Rosa